Vacinas desenvolvidas a partir de nanoestruturas de DNA estão um passo mais perto da realidade clínica


As vacinas sintéticas podem combinar uma porção do micróbio alvo, conhecido como "antígeno", junto com um adjuvante que estimula o sistema imunológico. No entanto, a administração do adjuvante e do antígeno juntos às células imunes apropriadas é um desafio.

O campo emergente da nanotecnologia de DNA pode oferecer uma solução. A liberdade de design das nanoestruturas de DNA permite que um desenvolvedor de vacina adapte a interação da nanoestrutura com populações de células imunes selecionadas e células não-alvo, criando uma resposta seletiva.

Em seu relatório publicado online em 3 de julho de 2012, na revista Nano Letters ("A DNA Nanostructure Platform for Directed Assembly of Synthetic Vaccines"), uma equipe de pesquisadores da Arizona State University demonstrou que as nanoestruturas de O DNA com adjuvantes anexados pode induzir a produção de anticorpos contra um antígeno modelo em camundongos. Até o momento, o potencial das nanoestruturas de DNA para atuar como vacinas só foi demonstrado in vitro.

Fonte: http://www.nanowerk.com/spotlight/spotid=26120.php



Vídeo: O que é nanotecnologia? Explicação simples


Artigo Anterior

Nanocolóides para identificar coágulos sanguíneos

Próximo Artigo

Insulina para Alzheimer