Tema: Ternura


Você já analisou essa emoção que chamamos de ternura? A ternura é feliz, a ternura é triste? A ternura não parece mais a semente de um sorriso que dá o fruto de uma lágrima? Ao sentir, sentimos angústia precisamente por causa daquilo que nos dá prazer. Assim, amamos a inocência porque é feita de simplicidade, pureza, insuspeito, benevolência nativa, nobre credulidade. Mais precisamente, essas qualidades nos entristecem porque quem as possui será vítima do duplo, impuro, desconfiado, malévolo e cético que povoa a sociedade. A inocência não nos excita, a inocência não nos irrita, a inocência nos toca.

Ortega y Gasset

A doce saudade do amor que espera,
talvez inquieto e com suspeita mortal;
a bela fortuna que o galante cruzou,
Lá na noite, entre o véu terrível.
O tão esperado compromisso que demora a chegar
ao desejo impaciente e amoroso,
a mulher e a voz de sua doçura,
que inspira ternura à alma celestial;
ao mesmo tempo em uma tempestade rápida,
minha alma estava constantemente se mexendo,
como as ondas que açoitam com violência
raiva, turbilhão impetuoso.

Olhos que derramam lágrimas que velam
sua luz clara aumentando sua ternura,
enquanto suspiros de seus lábios voam
com fadiga que aumenta sua beleza;
e enquanto os cachos agitados caem
que sufoca seu rosto ansioso,
aumenta em sua angústia seus feitiços
a mão branca que vai embora.

José de Espronceda

Nunca te esquecerei; emprego contínuo
serás da minha ternura e da minha memória,
e embora em vão, também do meu desejo

Gaspar Melchor de Jovellanos


Vídeo: GRUPO TERNURA - ELSA


Artigo Anterior

Air Berlin: cartão de embarque eletrônico em seu smartwatch

Próximo Artigo

Curso de Graduação em Nanotecnologia na Índia e EUA