Fabricação de combustível de açúcar


Novo combustível líquido para transporte feito de açúcar

De acordo com um artigo publicado esta semana no ScienceDaily.com, o Professor James Dumesic, um engenheiro biológico e químico da Universidade de Wisconsin-Madison, e sua equipe, desenvolveram um processo de duas etapas para converter açúcar derivado de biomassa em 2,5 -dimetilfurano (DMF), um combustível de transporte líquido com 40% mais energia que o etanol.

As perspectivas de diminuição das reservas de petróleo e a ameaça do aquecimento global devido à liberação de carbono na atmosfera aumentaram a busca por um combustível sustentável e livre de carbono que reduza a dependência global dos combustíveis fósseis. Ao modificar quimicamente o açúcar por meio de uma série de etapas usando cobre e catalisadores ácidos, e sal e butanol como solvente, os pesquisadores abriram um caminho para o desenvolvimento de tal combustível.

“Atualmente, o etanol é o único combustível líquido renovável produzido em grande escala”, diz Dumesic. “Mas tem várias limitações. Tem uma densidade de energia relativamente baixa, evapora facilmente e pode ser poluída pela absorção de água da atmosfera. Além disso, requer um processo de destilação energeticamente intenso para separar o combustível da água ”.

O dimetilfurano não apenas tem um conteúdo de energia mais alto, mas também resolve outros problemas do etanol. O DMF não é solúvel em água e, portanto, não pode ser contaminado pela absorção de água da atmosfera; uma vez armazenado, é estável e na fase de evaporação de sua produção consome um terço da energia necessária à evaporação de uma solução de etanol produzida por fermentação para sua aplicação em biocombustíveis.

De acordo com o novo método, a frutose é inicialmente convertida em HMF em água por meio de um catalisador ácido na presença de um solvente de baixo ponto de ebulição. O solvente extrai o HMF da água e o transporta para um local separado. Embora outros pesquisadores já tenham convertido a frutose em HFM, a equipe de Dumesic fez uma série de melhorias que aumentam a produção de HMF e facilitam sua extração. Por exemplo, a equipe descobriu que adicionar sal (NaCl) melhora significativamente a extração de HFM e ajuda a prevenir a formação de impurezas.

Dumesic descreve seu processo na revista Nature de 21 de junho de 2007. Segundo ele, mais pesquisas serão necessárias antes que essa tecnologia possa ser comercializada, comprovando, por exemplo, seu impacto ambiental.

Fonte: Science Daily



Vídeo: Combustível é produzido com milho


Artigo Anterior

Nanocolóides para identificar coágulos sanguíneos

Próximo Artigo

Insulina para Alzheimer