Avanços nos tratamentos para leucemia


Uma equipe de cientistas de um centro de pesquisa de câncer na Universidade de Rochester descobriu que um derivado de planta é capaz de atacar as raízes da leucemia.

A matricária cujo nome científico é Tanacetum parthenium é uma planta semelhante às margaridas e é fonte de um agente, a partenolida, que mata as células-tronco da leucemia melhor do que qualquer outra terapia, de acordo com os resultados das investigações desta equipe que Eles são publicados na edição digital da revista científica Blood.

Levará meses para desenvolver um composto farmacêutico a partir do partenolídeo, embora os autores desta pesquisa médica já estejam trabalhando com uma equipe de pesquisadores químicos da Universidade de Kentucky que identificou uma molécula solúvel com as mesmas propriedades do partenolídeo.

O Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos integrou este projeto ao seu "programa de acesso rápido", que visa transferir drogas experimentais do laboratório para ensaios clínicos em humanos o mais rápido possível.

Segundo o diretor de pesquisa, este projeto representa um passo muito importante para lançar as bases para o desenvolvimento de uma nova terapia para a leucemia. Pela primeira vez, surgiram evidências de que é possível matar as células-tronco da leucemia com uma substância (partenolida).

É a primeira vez que uma substância capaz de atuar contra a leucemia mielóide em nível de células-tronco é identificada. Os tratamentos atuais contra esse tipo de câncer não atingem as células onde nasce a malignidade do câncer. Em outras palavras, eles não chegam à raiz da doença.



Vídeo: Ainda podemos melhorar os resultados do tratamento da Leucemia Linfocítica Crônica?


Artigo Anterior

Por que algumas pessoas nunca superam um rompimento

Próximo Artigo

Remédios para pele seca