Revestimento que se repara ao sol


Segundo artigo publicado na BBCNews, os cientistas criaram um revestimento que, ao ser riscado, se repara com a exposição à luz solar. Quando ocorre um arranhão, a luz ultravioleta dispara uma reação química que corrige o dano.

O trabalho, conduzido por pesquisadores da University of Southern Mississippi, foi publicado na revista Science.

Os pesquisadores projetaram as moléculas combinando moléculas em forma de anel chamadas oxetano com quitosana.

As moléculas feitas sob medida foram adicionadas a uma mistura padrão de poliuretano, um verniz popular que também é usado em outros produtos, de tecidos a roupas de banho.

Arranhões ou outros danos ao revestimento de poliuretano quebram os anéis de oxetano, deixando pontas soltas que são muito propensas a reagir quimicamente.

Na luz ultravioleta do sol, as moléculas de quitosana se dividem em duas, adicionando-se às extremidades reativas do oxetano.

O professor Marek Urban, diretor da escola de polímeros e materiais de alto desempenho da universidade, e o estudante de graduação Biswajit Ghosh, observaram que seus revestimentos foram capazes de se auto-reparar completamente em apenas 30 minutos.

Vários compostos de autocura foram desenvolvidos nos últimos anos, mas muitos deles contam com a inclusão de cápsulas ou fibras ocas preenchidas com materiais que agem como cola. Quando ocorre um risco, as cápsulas ou fibras contendo a cola se rompem e a cola repara o dano.

De acordo com o professor Urban, essas abordagens são bastante elaboradas e muitas vezes não são economicamente viáveis.

A nova abordagem, ao contrário, requer apenas a adição de um pequeno número de moléculas de reparo à mistura.

"Ainda há muito trabalho a fazer, mas estamos no caminho certo", disse Urban.

Fonte: BBC Science


Vídeo: Cómo reparar la piscina


Artigo Anterior

A percepção de Barcelona por um inglês (minhas leituras e uma primeira visita fugaz)

Próximo Artigo

Trailer e frases de "A turnê dos Muppets"