Atletas que farão história no Rio



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Chamados à glória nas Olimpíadas do Rio

Os Jogos Olímpicos, um compromisso que todos os atletas do grande esporte mundial marcam em vermelho. Estamos diante do evento mais esperado pelos atletas de elite, um evento que muitos deles passam a vida se preparando.

A história dos Jogos Olímpicos remonta à Grécia antiga, mas a verdadeira história que se lembra é a dos atletas, a dos atletas que, graças aos seus feitos épicos, se tornam figuras imortais para a lenda do desporto.

É um desejo contínuo e um espírito de autoaperfeiçoamento, de competir não contra seu rival, mas contra o relógio, contra seu eu do passado, que empurra esses titãs do esporte a darem tudo de si nesta competição lendária. Muitos foram os que marcaram distâncias nas eleições dos jogos, mas Rio 2020 pertence a um seleto grupo de atletas.

Usain Bolt

Fonte: Bloomberg.com

Desde o início surgiram dúvidas sobre sua participação nos jogos e sua forma física, como aconteceu em Londres 2012. Além disso, a um mês do Rio de Janeiro, durante o campeonato da Jamaica em Kingston pela classificação da seleção jamaicana, ele sofreu uma lesão nos isquiotibiais (também conhecido como músculo dos velocistas) que o forçou a desistir da final do campeonato.

Mas, pessoal, estamos falando de Usain Bolt, a lenda, o rei da velocidade, o raio jamaicano. Bem, com efeito, como se fosse uma fênix, ressuscitou das cinzas e depois de trabalhar com médicos e especialistas, apareceu na Diamond League, em Londres, para ganhar uma passagem para o Rio endossada com a marca de 19,89 nos 200 metros rasos.

Agora, prestes a fazer 30 anos, uma idade veterana para um atleta de elite, Bolt se encontra às portas do Elysee. Caso você não se lembre, ele é atualmente uma lenda viva do atletismo com um recorde de 6 medalhas na rainha das provas de velocidade. Mas vencer no Rio de Janeiro significaria alcançar o inatingível para qualquer ser humano na face da terra.

Michael Phelps

Estamos antes o atleta mais premiado da história dos jogos olímpicos. É o “tubarão” da seleção norte-americana que já acumula um total de 22 medalhas (18 de ouro, 2 de prata e 2 de bronze) na participação consecutiva em quatro jogos. Os do Brasil serão os quintos, jogos nos quais ele poderá ampliar ainda mais sua lenda, se possível.

Fonte: Foxsports.com

De qualquer forma, O caminho deste atleta para a glória está repleto de problemas pessoais e desempenhos antiéticos. De sua magnífica atuação em Pequim e sua ascensão à fama, ele só apareceu nas capas de conflitos e abuso de substâncias. Em 2009 foi suspenso pela USA Swimming (Federação Americana de Natação) por 3 meses em decorrência da publicação de fotos de Phelps com narguilé. No entanto, em Londres, ele mostrou que ainda estava se apresentando em um nível formidável. Mas em outubro de 2014 ele foi preso por dirigir alcoolizado e a Federação o suspendeu por 6 meses e também decidiu que o nadador não deveria competir no Campeonato Mundial realizado na cidade russa de Kazan.

A partir desse momento e pelas razões de ter sido noivo da namorada (atualmente mulher) e ter sido pai, Michael Phelps se tornou um novo homem que, embora já tenha passado dos trinta (tem 31 anos), quer e pretende consagrar a sua posição no Olimpo do desporto.

Neymar Jr.

Fonte: soy502.com

Ele atual capitão da equipe anfitriã dos Jogos Olímpicos é seguramente o atleta que mais sofre pressão nessas Olimpíadas. As polêmicas não cessaram e desde sua nomeação polêmica como capitão do Seleção brasileira eles não param de aumentar.

Estamos perante um jovem de 24 anos que na sua vida sorriu em tudo, em tudo menos com a sua equipa. Como algumas grandes estrelas do futebol (veja o exemplo de Messi, Shevchenko, Raúl Gonzalez, Gerrard ou o próprio Cristiano Ronaldo até menos de um mês atrás) Ele é assombrado pela maldição de não conseguir alcançar o triunfo desejado com sua seleção nacional.

A tudo isso devemos acrescentar não só não vencer, mas também a terrível imagem que o canarinha oferecido na Copa do Mundo no Brasil de 2014. Além disso, há um ônus extra para o capitão brasileiro e para toda a seleção, que é o fato de o ouro dos Jogos Olímpicos ser o único troféu internacional que o Brasil não possui em seu cartel. Eles ganharam 5 Copas do Mundo, 8 Copas das Américas, 4 Copas das Confederações, mas nenhum ouro nos Jogos Olímpicos.

A próxima nomeação das Olimpíadas dá à Seleção Brasileira de Futebol a opção de fazer um reconquista histórica no mesmo lugar onde afundou há dois anos e dá a Neymar a oportunidade de demonstrar suas habilidades de liderança.

Kevin Durant

Isto é a nova estrela e líder do time de basquete americano. Devido à recusa de grandes nomes como Lebron James e Stephen Curry, caberá a este novo jogador do Warriors lidar com o comando da equipe.

Foto: nextvpanama.com

Os americanos são referência no basquete e desde o Barcelona 92, sem perder uma olimpíada. Embora tenham surgido dúvidas sobre o nível da equipe e dos jogadores deste ano, segundo Durant, “Não há pressão de nenhum tipo. Devemos estar cientes de que devemos jogar em nosso melhor nível“.

O líder dos EUA vai dividir as listras com o atacante Carmelo Anthony, o veterano americano que no Rio se tornará o único basquete americano a ter disputado quatro Jogos Olímpicos.

Embora Durant afirme que não existem figuras de líderes ou estrelas, mas que é uma equipe mentalizada e envolvida para dar o máximo, é mais do que claro que ele está tentando tirar o ferro da questão tentando se livrar da grande responsabilidade que tem nos Jogos Olímpicos. deste ano.

Knock Djokovic

O sérvio que atualmente é o tênis mundial número um ele ainda não tem uma medalha olímpica em sua vitrine. Embora ele só precise realizar essa façanha para ser capaz de bordar sua carreira esportiva, seus rivais não o conseguirão facilmente.

Foto: nbcolympics.com

À frente você terá o grande Rafael Nadal (que acaba de confirmar sua participação em simples e duplas) com um ouro em Pequim e número dois no ranking ATP Andy Murray que foi ouro em Londres 2012. Ele terá que vencer esses dois colossos para conquistar seu primeiro ouro e primeira medalha olímpica de sua carreira.

Serena Williams

Foto: voanews.com

Se continuarmos com o mundo do tênis, outro elemento essencial da lista é o pantera Serena Williams. Convencido a revalidar o título de campeão olímpico obtido em Londres 2012 (em simples e duplas), ela enfrentará o melhor tênis mundial de toda a história.

Ela está no topo do WTA e chega ao Rio depois de um ano em que já conquistou absolutamente tudo. Claro, nem é preciso dizer que ela assiste aos jogos como a grande favorita dos participantes.

Os jogos do Rio de Janeiro certamente serão o prelúdio da aposentadoria da irmã mais nova da lendária Williams, que está prestes a completar 35 anos. Para isso, nada melhor do que ganhar duas medalhas de ouro e encerrar uma carreira digna de uma lenda.

Simone biles

Eles já o batizaram como a nova Nadia Comaneci (famosa por suas 9 medalhas olímpicas e por ter sido a primeira ginasta a atingir a nota 10 perfeita, entre muitas outras conquistas) e isso não é surpresa. Este adolescente americano é a primeira ginasta da história a ganhar 3 títulos mundiais com apenas 19 anos.

Foto: indystar.com

Rio pode se tornar o ápice de sua carreira, ou melhor, no início de uma lenda. Além disso, terá direito a 5 medalhas, das quais é favorito na quarta prova das quais participará. É nas barras irregulares onde esta jovem "folga" um pouco, embora seja uma questão de tempo, que tem de sobra, que ela também as bate.

Shelly-Ann Fraser-Pryce

Foto: urbanislandz.com

Este último é um nome a ter em conta na modalidade de velocidade feminina. A jamaicana Shelly-Ann, também conhecida como “o Bolt” da seleção feminina da Jamaica, já é uma lenda do estilo Usain Bolt no sprint feminino de 100m.

Apelidado de “foguete pocekt” (foguete de bolso) por sua altura diminuída de 1,51 metros, é uma referência no atletismo feminino. Ele chega ao rio com a firme intenção de revalidar o título obtido em Pequim e Londres nos 100 metros rasos. O seu recorde é algo que merece destaque, já que soma um total de 13 medalhas entre campeonatos mundiais e olimpíadas ao ar livre.

Leitura Relacionada:

  • Registros históricos das Olimpíadas
  • Jogos Olímpicos e doping: os casos mais notórios
  • Olimpíadas e Olimpíadas não são iguais

Vídeo: O que os maiores treinadores da história fizeram para transformar atletas comuns em grandes campeões


Comentários:

  1. Khachig

    Eu acredito que você está errado. Envie-me um e-mail para PM, vamos conversar.

  2. Voodoot

    Concordo, esta é uma informação notável

  3. Aaron

    Você está enganado. Eu posso defender a posição. Escreva para mim em PM.

  4. Dailar

    O que é mensagem engraçada

  5. Arashiktilar

    Eu acho que este é um tópico muito interessante. Ofereça a todos participam ativamente da discussão.



Escreve uma mensagem


Artigo Anterior

Pontos quânticos com luz própria

Próximo Artigo

As melhores férias de inverno